[F] – serie EFQ – Capitulo 3 – Será que um único elemento basta?


Desculpem a demora em postar a cotinuação da nossa serie… tive problemas no PC 🙂 Mas voltando ao nosso assunto:

Heráclito

Vários filósofos moravam também em Éfeso, que fica na Ásia menor. Dentre eles, o mais importante foi Heráclito.
Heráclito viveu aproximadamente entre 540 a 480 a.C..

Para ele, o fundamental se encontrava nas constantes mudanças na natureza, logo tudo fluía e nada era eterno, pois tudo estava em constante transformação.

Uma de suas mais famosas frases era: “Uma pessoa
não pode entrar no mesmo rio duas vezes, [pois quando entrasse pela segunda vez tanto a pessoa como o rio já teriam mudado.]”
Heráclito acreditava que existia uma espécie de “razão universal”, ou uma “lei universal”, pela qual todas as coisas e transformações eram dirigidas.

Empédocles

Empédocles, tambem pensou sobre as transformações a cerca da natureza e refutou a idéia de existir apenas um elemento primordial na natureza, uma vez que tanto o ar como a água não podiam se transformar em uma borboleta.

Para ele deveriam existir quatro elementos primordiais na natureza: terra, fogo, água e ar. Elementos esses que ele denominou como “raízes”, já que tudo na natureza devia ser formado pela combinação desses quatro elementos. Depois os elementos se separavam novamente, eram recombinados e formavam outro ser ou material.
Então não é correto afirmar que tudo muda, porém que nada se altera, apenas as suas combinações.

Empédocles também acreditava existir duas forças fundamentais na natureza: o amor e a disputa. O amor era o que unia e combinava os
elementos, e a disputa era o que os separava. Note que para Empédocles existe uma diferença entre elementos básicos e
forças naturais. Que é exatamente o que a ciência moderna busca: através de alguns elementos básicos e poucas forças
tentar descrever todas as transformações e processos da natureza.

Anaxágoras

Outro importante filósofo foi Anaxágoras que viveu aproximadamente entre 500 a 428 a.C.. Era natural da Ásia Menor. Aos 40 anos se mudou para Atenas, onde foi acusado de Ateísmo e teve que deixar a cidade.
Ele defendia a idéia de que o sol não era um Deus, mas uma massa incandescente maior do que a península do Peloponeso.
Ele não aceitava a idéia de existir quatro elementos ou apenas um
elemento. Para ele tudo na natureza era composto por uma infinidade de partículas, muito pequenas, invisíveis a olho nu. Tudo podia ser dividido em partes cada vez menores, mas mesmo nas menores partes havia um pouco de tudo, ou seja, nessas minúsculas
partes ainda havia um pouquinho de tudo o que existia. Essa pequena parte Anaxágoras denominou “sementes” ou “germens”.
Anaxágoras também imaginou um tipo de força que unia tudo e era
responsável pela criação de tudo que existia. A essa força ele denominou “inteligência”.

É isso ai galera, o próximo post vamos ver Demócrito, um dos mais importantes filósofos a cerca da natureza, refletindo sobre como as “raízes de seus pensamentos” estão tão presentes na ciencia moderna. Uma ótima semana galera…

Escrito: Quake

Revisão: Luciana

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s